Angina do Peito

Angina do Peito

 Que é angina pectoris? Quais as causas?

 

Angina pectoris (angina do peito) é a dor no peito provocada pela insufi­ciência de oxigênio no músculo cardíaco.­ Essa insuficiência é resultado de estrei­­­­tamento das artérias que irrigam o cora­ção, as coronárias, na maioria das vezes produzido pela aterosclerose, ou depósito de gordura nas paredes. Outra causa possível é o espasmo da coronária, a estenose aórtica e a arrit­mia cardíaca, ou falhas no batimento do coração.

Outras causas, mais raras, são: anemia grave, que diminui drasticamente a eficiência do transporte de oxigênio no sangue; tirotoxicose, em que há aumento do hormônio da tireóide, que força o coração a trabalhar redobra­da­mente; e policitemia, ou espes­samento do sangue por excesso de glóbulos vermelhos, o que dificulta o fluxo san­güíneo através do coração.

 

Sintomas

 

O sintoma clássico é dor no peito, que pode variar de intensidade, mas apresenta, na descrição dos pacientes, característica de “aperto”. Pode passar do centro do tórax para os braços (geralmente o esquerdo), o pescoço, a mandí­­­­­­bula e as costas, entre as escápulas.

A dor se manifesta quando o coração precisa de mais oxigênio, e essa necessidade não é satisfeita por algum problema, como os já mencionados. Durante o exercício físico, em situação de estresse, em circunstâncias climáticas extremas (muito calor ou frio), logo depois de lauta refeição, pode vir a dor. Uma das características mais marcantes da angina do peito é o alívio da dor, que costuma não demorar. Basta interromper a atividade. Além da dor podem surgir alguns sintomas que lembram o enfarte: respiração difícil, tontura, sudorese e náuseas. Se os sintomas são muito fortes, pode, na verdade, tratar-se do próprio enfarte.

 

Conselhos

 

O primeiro conselho é não ignorar as dores, mesmo que a princípio sejam fracas e passem rápido. Podem ter outras causas, como esofagite, ou distensão muscular do tórax, mas só o médico poderá estabelecer o diagnóstico.

É preciso, ao primeiro sinal, proceder à avaliação completa do problema. Algumas questões a que você deve dar atenção:

1. Você fuma? Em caso afirmativo, o seu risco de complicações é maior.

2. Come alimentos gordurosos? Como veremos a seguir, precisa mudar a alimentação.

3. É obeso? Os gordinhos correm maior perigo.

4. Tem pressão alta? Os hipertensos merecem cuidado redobrado.

5. O colesterol está alto? O risco de obstrução dos vasos é iminente. Não se descuide.

6. É do sexo masculino? A incidência é maior em homens, embora as mulheres não estejam livres.

7. Há casos na família? O fator hereditário pode interferir. Se há casos na família, mais cuidado.

8. Está sempre tenso? Pessoas tensas e preocupadas são mais propensas a desenvolver angina.

Faltava ainda subir um lance de escada quando Marcos sentiu dor sufocante no peito. Enfarte? Sentou-se num degrau, a mão apertando o tórax. Gritaria por socorro? Subitamente, do mesmo modo que veio, a dor desapareceu. Não era a primeira vez. Só que agora havia sido forte demais. Até então ele não se havia preocupado com o desconforto súbito e passageiro que o acometia toda vez que subia escadas ou fazia esforço físico. Por esse motivo ensaiava, havia tempo, a ida ao médico, mas sua agenda nunca estivera tão lotada. Homem de negócios, ex-fumante, 45 anos, Marcos se considerava sadio. Mas tomou o episódio por “aviso” e resolveu naquele mesmo dia procurar um cardiologista. E era mesmo um aviso. Feitos os exames, o cardiologista concluiu que era angina do peito, ou obstrução parcial de artérias do coração, que poderia levar ao infarto do miocárdio.

Como deve ser a dieta preventiva?

 

Evitar carnes, particularmente gordurosas. Evitar gorduras sólidas, como gordura de coco, manteiga e margarina. Todo o cuidado é pouco com frituras, óleo demais, embutidos, queijos gordurosos, ovos em excesso, doces e guloseimas, e sal demais (incluem-se aqui as conservas e os produtos em salmoura). Evitar, também, massas, açúcar e guloseimas. Utilizar abundantemente alimentos ricos em fibra, como cereais integrais, frutas e verduras frescas.

* As dietas terapêuticas naturais são empregadas em clínicas naturistas. Adote alimentação saudável, mas não mude radicalmente sua alimentação sem orientação profissional.

 

Periodicamente (a cada 2 ou 3 meses), estudiosos da alimentação natural como Shelton sugerem o programa de desintoxi­cação, como segue:

Primeiro e segundo dias: frutas a cada três horas. Consumir uma qualidade de fruta por vez. Recomendadas: maçã, uva, laranja, mamão, melão e melancia.

Terceiro e quarto dias: Mamão, maçã, pêssego ou figo com iogurte desnatado natural e sementes de girassol (ou amêndoas) no desjejum. Almoço: purê de batata ou de inhame (sem manteiga, margarina ou óleo) ou arroz integral com brotos, salada crua de cenoura, e legumes como couve-flor, brócolis ou berinjela e grão-de-bico em grãos. Pode-se acrescentar um assado de aveia. No jantar, suco de melão, ou de mamão com maçã (sem adoçar). Se preferir, coma a fruta.

Quinto e sexto dias: Mingau de cereal (como aveia) com frutas picadas e amêndoas no desjejum. Arroz integral, feijão azuki e saladas cruas no almoço (bastante cebola, cenoura e berinjela). Maçãs com nozes e coalhada magra no jantar (se preferir, usar uma só qualidade de fruta).

Sétimo dia: Passar o dia só com maçãs (quem sofre de prisão de ventre pode combinar maçã com mamão, e quem tem pressão alta pode usar pêras). Refeições de três em três horas. Quem não sofre de hiperacidez pode fazer uma refeição de abacaxi e outra de ameixa fresca.

No mês que não fizer a “semana de desintoxicação”, proceder à cura de limão.

Tomar limões com água e em horários diferentes.

Dieta natural terapêutica*

Plantas (contra a aterosclerose)*

Sugestões naturais contra o colesterol

* Lembrete: Estas indicações são tradicionais e não suprimem o tratamento médico.

 

1º dia

1 limão

Quanto mais inativo o paciente, menos calórica deve ser a alimentação. Algumas refeições poderão ser substituídas por frutas, exclusivamente, ou por sucos de frutas.

É especialmente citada a sete-sangrias. Inespecificamente, como depurativos, “limpadores do metabolismo”, podem-se usar: dente-de-leão, tanchagem e chapéu-de-couro. Pode-se misturar a sete-sangrias com o dente-de-leão e tomar três xícaras ao dia (com limão). Depois de uma semana, tanchagem e sete-sangrias (três xícaras ao dia, com limão). Na terceira semana, chapéu-de-couro com sete-sangrias (três xícaras ao dia, com limão). Na quarta semana repetir a dosagem da primeira, e assim sucessivamente por uns três ou quatro meses. Recomenda-se este tratamento para prevenir e tratar a aterosclerose e doenças com ela relacionadas.

Dosagem usualmente indicada: duas colheres, das de sopa, da planta ou da mistura de plantas para meio litro de água. Ferver e filtrar.

 

 

Alcachofra — Usar liberalmente alcachofra e tomar chá das folhas.

Alho — Usar liberalmente alho cru em saladas e óleo de alho, disponível em cápsulas.

Cebola — Usar liberalmente cebola (crua e cozida, não frita).

Espinafre —Usar liberalmente espinafre.

Berinjela — Usar liberalmente berinjela na alimentação, menos na forma frita. Tomar o suco diluído de berinjela em jejum, ou deixá-la de molho, picada. Coar e tomar o líquido.

Cenoura — Comer todos os dias duas ou três cenouras cruas antes do almoço.

Abacaxi — Passar alguns dias a cada mês com dieta exclusiva de abacaxi, ou substituir algumas refeições por esta fruta, se não houver hiperacidez gástrica.

Ameixa — Incluir copiosamente ameixa fresca na alimentação.

Maçã — Usar maçã todos os dias.

Tangerina — Fazer esporadicamente refeições exclusivas de tangerina.

Uva — Usar, em lugar do óleo de soja, óleo de caroço de uva, com moderação, obtenível em casas de produtos naturais, ou importado da Argentina.

2º dia

2 limões

3º dia

3 limões

4º dia

4 limões

12º dia

4 limões

13º dia

3 limões

14º dia

2 limões

15º dia

1 limão

5º dia

5 limões

6º dia

6 limões

7º dia

7 limões

8º dia

8 limões

9º dia

7 limões

10º dia

6 limões

11º dia

5 limões

 

Banhos, fricções e geoterapia (tratamento com argila)

 

Fricções com toalha molhada e depois com toalha seca ajudam a melhorar a circulação e tonificar os nervos.

Banhos vitais e aplicações regulares de argila são também indicados (ver como fazer às páginas 105 e 114).

 

Você sabia?

Abacaxi (Ananas sativus)

É indicado para combater bronquite e outras afecções catarrais.

Modo de usar: Fazer refeições exclusivas de abacaxi, ou suco sem açúcar. Para a bronquite, cortar em fatias, pôr na panela, acrescentar mel, tampar bem e cozinhar. Depois de esfriar, retirar o suco e colocar em um vidro. Tampar bem. Tomar 3 a 4 colheres das de sopa ao dia

 


Programa Saúde Total

Levando informações aos ouvintes sobre saúde e qualidade de vida, valorizando os benefícios da natureza: ar puro, atividade física, água, luz solar, alimentação, repouso, abstinência e muito mais.