Febre de Feno

Febre de Feno

 Tratamento

Manifestação alérgica caracterizada por espirros, coriza (corrimento nasal), coceira e irritação nos olhos, lacrimejamento. Acredita-se que o alérgeno seja o pólen das flores. Por isso, manifesta-se principalmente em certas estações do ano, como primavera. Mais comum no hemisfério norte. O tratamento é o mesmo indicado em alergia. Indica-se uma planta, a consólida (Symphytum officinalis), cujas folhas podem ser comidas como salada (duas ou três folhas frescas por dia). Há relatos de melhora dos sintomas da febre de feno com o uso dessa planta.

 

Sugestões naturais

Não se conhece tratamento específico, senão amenizar o sofrimento mediante abordagem sintomática. Por isso enfatiza-se a prevenção, por meio da vacinação, combate ao mosquito e controle de áreas de risco. O paciente deve ser posto sob regime de isolamento, já que, a partir dele, os mosquitos podem disseminar a doença, criando inúmeras vítimas.

Observar, em todos os casos, orientação médica. Não se conhece tratamento específico além da prevenção vacinal.

Manter o doente em repouso, numa dieta hidratante de sucos de frutas frescas sem açúcar, de três em três horas, durante o pico febril.

Tradicionalmente se indica chá de alecrim, alfavaca, cavalinha, cabelo de milho, tanchagem, feno-grego e boldo-do-chile, misturados, de duas a três xícaras ao dia, juntamente com suco de limão e umas vinte gotas de solução de própolis. Uma colher, das de sopa, das ervas para cada 300ml de água. Ferver e filtrar.

No abdome, compressas de argila. Uma ou duas vezes ao dia, por duas horas.

 


Programa Saúde Total

Levando informações aos ouvintes sobre saúde e qualidade de vida, valorizando os benefícios da natureza: ar puro, atividade física, água, luz solar, alimentação, repouso, abstinência e muito mais.