Insônia

Insônia

 Insônia — muito comum

 

A insônia é mal que atormenta a vida de muitos seres humanos. Até acontecimentos que trazem grande alegria podem, para algumas pessoas, produzir insônia. Outros não dormem bem porque não conseguem desligar a mente das atividades e dos problemas cotidianos. Ainda outros dormem mal porque se deprimem facilmente, ou se envolvem demasiadamente quando em situações aflitivas. Todos podemos curtir algumas noites de insônia, em momentos críticos da vida, ou em circunstâncias emocionalmente carregadas. Mas se a insônia se torna freqüente, então é preciso estudar um plano de tratamento, pois pode trazer conseqüên­cias sérias.

 

A insônia pode manifestar-se de diversas maneiras:

1. Dificuldade de “pegar no sono” ao deitar.

2. Acordar várias vezes ao longo da noite. O sono fica “perturbado”, ou “picotado”.

3. O sono vem rápido ao deitar, mas, ao acordar de madrugada, não se consegue mais dormir.

Como já foi explicado, todos podem sofrer de insônia em determinadas situações. O problema é quando as noites mal dormidas se somam e se arrastam por semanas, meses, até anos. Os resultados vão de olheiras a infarto do miocárdio. A insônia crônica provoca alterações nervosas que contribuem para criar ou agravar um quadro de gastrite, úlcera gastroduodenal, hipertensão arterial, fadiga, irritabilidade, depressão, agressividade, perda de memória e dificuldade de concentração. Os estudiosos do naturismo explicam que os distúrbios do sono diminuem a vitalidade do organismo, provocando déficits de resistência. Isso quer dizer diminuição da capacidade imunitária, o que nos torna mais vulneráveis a qualquer agente de agressão. A “vida social” que nos faz sacrificar noites de sono em festas e outros divertimentos provoca danos irreparáveis à saúde, e pode ocasionar insônia.

 

Causas

 

Apresenta múltiplas causas. Falamos, nas ilustrações citadas, de fatores como ansiedade, estresse e excitação nervosa, que compõem vasto conjunto de causas emocionais e nervosas. Mas a insônia pode ser deflagrada ou agravada por distúrbios como hipertensão arterial, febre e indigestão. Enfermidades que provocam dor podem perturbar o sono. As parasitoses e as disfunções digestivas estão por trás da insônia com freqüência maior do que se pensa. O mau hábito de comer próximo à hora de deitar transtorna o sono. Certos estimulantes, como café, chá preto, gua­raná, chimarrão etc., e drogas como as anfetaminas (“bolinhas”, usadas em dietas de emagrecimento) podem produzir insônia.

A alergia a certos alimentos pode produzir inquietação e insônia. Já se verificaram casos de alergia ao trigo e ao leite desencadeando insônia.

A alimentação desvitalizada, refinada, carregada de aditivos químicos, composta em grande parte de carnes, açúcar, café, lanches, frituras, é a dieta das pessoas mais freqüentemente acometidas por sensação constante de cansaço e insônia.

A causa mais comum de insônia, entretanto, é psíquica. O estresse emocional e a excitação nervosa são reconhecidamente a dupla do mau sono.

O tratamento requer averiguação e abordagem da causa. Os estudiosos da naturopatia são da opinião de que os remédios vendidos a três por dois contra insônia (soníferos, hipnóticos ou calmantes) não trazem solução adequada. Além de não proporcionarem sono natural, muitos provocam dependência, e depois de algum tempo não fazem mais efeito. O tratamento natural vem apresentando bons resultados no combate à insônia.

As dietas pobres em proteína podem contribuir para a insônia, por serem deficientes em triptofano. Fontes razoáveis desse aminoácido são a coa­lhada e as leguminosas (soja, feijão etc.).

 

Vitaminas e minerais que ajudam*

 

Em alguns casos, o cálcio e o mag­nésio podem representar, para o doente de insônia, o “bálsamo” de que precisa para readquirir o bem-estar de uma noite bem-dormida. Tomar refeições exclusivas de iogurte (desjejum ou jantar) e ingerir clorela diariamente ajudará a suprir as necessidades de cálcio e magnésio. Não havendo contra-indicações, a ingestão de até 1g de cálcio e 350mg de magnésio, na forma de suplementação, poderá ajudar. O uso de fórmulas contendo triptofano (aminoácido precursor da serotonina, o neurotransmissor do sono) é indicado em receitas individualizadas. Observar prescrição profissional.

 

Banhos de sol (helioterapia) e banhos de mar (talassoterapia)

 

Para estimular a produção de vitamina D, o paciente deve tomar banhos diários de sol: um pouco de manhã, um pouco à tarde. Os banhos regulares de sol, nos horários próprios, e os banhos de mar, são muito indicados no combate à insônia.

Pedro estava contente a ponto de soltar rojões. Depois de muitos anos de estudo e aprimoramento profissional, conseguira o emprego sonhado. As perspectivas de uma carreira brilhante somada a um bom salário deixavam-no eufórico. Tudo parecia muito animador, com exceção de uma coisa, que começou a preocupá-lo: uma estranha dificuldade de dormir. Pedro passava boa parte da noite traçando planos, com a mente em ebulição. A princípio, a satisfação do momento fê-lo superar o problema. Mas, depois de algumas semanas, sentia-se exausto. Esforçava-se para dormir, mas a mente não parava de funcionar.

Outro cidadão, Alexandre, um executivo, enfrentava grave crise em sua empresa. Quedas acentuadas das vendas, duplicatas vencendo, demissões, reuniões intermináveis, o estavam deixando com os nervos em destroços. No fim do dia, ao deitar a cabeça no travesseiro, completamente esgotado, não conseguia dormir. Sua mente dava voltas e mais voltas pelo tempestuoso mundo dos seus negócios...

Sueli, com 50 anos, já é vovó. A marca registrada de sua personalidade é um forte apego à família. O repentino falecimento de um de seus filhos deixou-a, naturalmente, muito abalada. Um ano depois, porém, ainda não conseguia dormir normalmente.

 

Dieta terapêutica natural*

Mel, maracujá, alface e outros recursos naturais

* Estas sugestões são tradicionais, bem como as dosagens.

 

Os naturistas afirmam ser fundamental fazer uma desin­toxicação. Em muitos casos, verifica-se que os pacientes começam a dormir normal­mente depois de alguns dias ou algumas semanas de desintoxicação, o que é muito animador.

Sugere-se um programa de desin­toxicação como o seguinte. Pessoas debilitadas só devem proceder a uma desintoxicação sob supervisão profissional:

Passar alguns dias (no máximo três) com sucos de frutas, de três em três horas, sem adoçar. Usar suco de pêra ou de maçã várias vezes. Manter certo repouso. Se houver muita fome, comer, depois das frutas, algumas torradinhas de pão integral, mas não em todas as refeições.

Durante dez dias, observar o seguinte cardápio:

Desjejum: só frutas, como maçã, uva ou pêra, com ou sem mamão (a pêra é indicada em caso de pressão alta, e o mamão em caso de prisão de ventre).

Almoço: arroz integral ou batata de boa qualidade e de boa procedência com cenoura crua, grãos germinados, tofu, abóbora, vagem cozida, sementes de girassol e salada de grão-de-bico, chuchu e alface (ou salada de folhosos). A alface é indicada contra a insônia, por conter princípios sedativos.

Jantar: frutas com nozes picadas (ou amêndoas) e um pouco de coalhada.

Gestantes, nutrizes, crianças, pessoas debilitadas, muito magras ou com doenças agudas não devem seguir este programa sem orientação.

Lanches: frutas ou água-de-coco, se houver fome.

Antes de dormir: uma colher das de sopa de mel.

O trio tradicional do bom sono é o mel, o maracujá e a alface.

Ao deitar-se, tomar uns 70ml de suco puro de talo de alface (bater no liquidificador com um pouquinho de água e coar). Dá ótimo resultado quando outros recursos falham, pois a alface contém um princípio amargo, o lactucarium, rico em lactucina, sedativo natural.

O suco de alface não é bem tolerado por alguns. Nesse caso, pode-se usar mel puro. Tomar uma ou duas colheres, das de sopa, antes de deitar, e toda vez que acordar durante a noite.

O chá das folhas do maracujá, ou mesmo o refresco do maracujá adoçado com mel, é, para muitas pessoas, ótimo sonífero. Há medicamentos naturais à base de passiflora, princípio ativo do maracujá.

A geléia real, tomada ao deitar (1 ou 2g), ajuda muitas pessoas a ter um sono tranqüilo.

O mel com pólen é ótimo para restaurar a energia nervosa e combater a insônia. Tomar uma colherinha, três vezes ao dia (e ao deitar).

 

Plantas

Outros procedimentos

* Os suplementos nutricionais são úteis em muitos casos, mas a indicação e a dosagem individual devem ser estabelecidas por um profissional especializado.

 

Várias plantas são sugeridas pelos manuais de fitoterapia: Camomila, erva-cidreira-verdadeira, água de melissa, folha de laranjeira, alfazema, folha de maracujá, valeriana, mil-em-rama. Misturar duas ou três destas plantas e tomar uma xícara de chá à tarde e outra antes de deitar. Valeriana e alfazema são usadas em dose mínima, a saber, meia colher das de café para cada 500ml de chá. Tomar chás calmantes no período da manhã pode, em muitos casos, produzir sonolência durante o dia, o que prejudica o sono à noite. Antes de dormir pode-se também tomar uma colher das de sopa de mel.

Valeriana — É capaz de exercer poderoso efeito relaxante sobre o sistema nervoso parassimpático. Pode-se tomá-la juntamente com flor de maracujá, coifa e lúpulo. Preparar o infuso, só uma xícara ao dia. Tomar vários goles ao longo do dia. A dosagem é a seguinte: uma xícara de água fervente sobre meia colher, das de chá, da mistura das três raízes pulverizadas. Usa-se pequena concentração, tendo em vista o forte efeito dessas plantas. Alguns pacientes não se sentem bem com a valeriana, que lhes ocasiona ainda mais insônia e taquicardia. Observar orientação profissional individualizada.

 

São muito benéficos na insônia: andar em água fria, pedilúvio quente, compressa aquecedora ao abdome, argila no abdome (duas horas por dia), inalação de eucalipto, caminhadas regulares de manhã e à tarde, com respiração profunda. Caminhar de manhã com os pés descalços sobre a grama molhada com orvalho, depois de aquecer o corpo numa caminhada preliminar.

Indica-se também um banho vital durante o dia, e um banho herbal de imersão (com alecrim) à noite, pouco antes de dormir. Ver modo de fazer à página 105.

Exercícios físicos moderados e regulares combatem a excitação nervosa e ajudam a curar a insônia. Caminhar, nadar, andar de bicicleta regularmente.

A sauna, seguida de massagem, é ótimo relaxante, e auxilia de modo considerável no tratamento da insônia. Portadores de doença cardíaca, diabetes e outros males crônicos só podem fazer sauna sob orientação médica.

 

Você sabia?

Camomila (Matricaria chamomilla)

É tradicionalmente indi­cada para combater cólicas menstruais, insônia, má digestão etc.

Modo de usar: Derramar ½ litro de água fervente sobre 1 colher, das de sopa, das flores. Deixar esfriar. Filtrar, e tomar 2 xícaras ao dia.

 


Programa Saúde Total

Levando informações aos ouvintes sobre saúde e qualidade de vida, valorizando os benefícios da natureza: ar puro, atividade física, água, luz solar, alimentação, repouso, abstinência e muito mais.