Nevralgias

Nevralgias

Causas 

Nevralgia significa dor no nervo. Muitas vezes, dores de causa desconhecida são impropriamente chamadas de nevralgia.

São inúmeras as causas possíveis. Podem surgir por deslocamento de coluna (nevralgia ciática), traumatismos, processos infecciosos (como abscessos ou cáries dentárias), estresse, intoxicações (por metais pesados, como chumbo ou mercúrio), esgotamento nervoso, excesso de trabalho, doenças reumáticas, malária, sífilis, ação de estimulantes como álcool, drogas etc., e deficiências nutricionais.

Um dos principais disparadores a crise de dor é a exposição ao frio e à umidade. O nervo, já debilitado pelas causas mencionadas, sofre alterações que desencadeiam a dor.

 

Sintomas

 

As dores podem surgir subitamente, ou ir aumentando aos poucos. É difícil estabelecer um padrão de manifestações, que varia muito de caso para caso. Como vimos, a exposição ao frio ou à umidade predispõe à dor num nervo previamente irritado. Pode ser insupor­tavelmente forte ou representar incômodo leve, porém prolongado. A exci­tação do nervo pode produzir contra­tura dos músculos por ele servidos, gerando dores semelhantes à cãibra.

As nevralgias mais comuns ocorrem na cabeça, no nervo trigêmeo (nevralgia do trigêmeo), cujos sintomas às vezes se assemelham aos da enxaqueca. A nevralgia ciática é uma das mais comuns (ver ciática). Podem ocorrer nevralgias em qualquer parte do corpo, como pernas, braços, mãos, tórax (entre as costelas), reto, olhos, mamas, escroto, ovários etc.

 

 Tratamento

O tratamento não deve ter em vista apenas o alívio da dor, embora esse seja o objetivo imediato. É preciso estudar e combater a causa. A aplicação local de calor é um dos meios de relaxar os tecidos e aliviar a dor.

A dieta é importante para o tratamento das nevralgias, do ponto de vista da Medicina natural, já que os hábitos alimentares modernos criam desequilíbrios nutricionais sutis no ambiente celular, o que é extensivo aos nervos. A deficiência celular de complexo B e minerais, por exemplo, favorece o desencadeamento de nevralgias. O primeiro passo, porém, é corrigir a dieta, eliminando tudo o que provoque “congestionamento”. Cortar açúcar (substituí-lo por mel), massas brancas (substituí-las pelas integrais), lanches ligeiros, guloseimas, frituras, carnes gordurosas, chocolate, embutidos, molhos industrializados, álcool, café etc. Observar dieta saudável, como orientado no capítulo 4, página 31.

Suplementos vitamínicos e minerais: de nove a quinze comprimidos diários de 500mg de lêvedo de cerveja enriquecido com vitamina B12 (ou complexo B), de 20 a 30mg de piridoxina (B6), 2g de geléia real pura, duas colherinhas, das de chá, de lecitina de soja líquida, 300mg de magnésio e de 400 - 800mg de cálcio, conforme critério médico. Alguns estudiosos recomendam que se acrescentem à fórmula de 200 a 400 UI diárias de vitamina D. A vitamina B6 é recomendada por Linus Pauling contra certas neuropatias como a síndrome do túnel do carpo. As doses por ele recomendadas variam entre 50 e 100mg/dia*.

Bricklin relata o caso de uma mulher que sofria de nevralgia severa na mandíbula, do lado esquerdo, e que obteve alívio completo depois que passou a usar diariamente levedura de cerveja fortificada com vitamina B12.

A acupuntura, aplicada em associação com a terapia nutricional, apressa o restabelecimento. Procurar um bom especialista.

 

Plantas

Hidroterapia

* Os suplementos nutricionais são úteis em muitos casos, mas a indicação e a dosagem individual devem ser estabelecidas por um profissional especializado.

 

Sugestões dos manuais fitoterápicos:

Cânfora — Macerar 100g de folhas de eucalipto, uma pedra de cânfora, 50g de guaco, e misturar com álcool de cereais. Deixar em repouso, e usar só depois de 24 horas. Massagear levemente o local com essa alcoolatura.

Alecrim-de-jardim — Preparar o decocto (cozimento) bem forte de alecrim-de-jardim com eucalipto e aplicar compressas úmidas e quentes no local, renovando toda vez que esfriar. Não se expor ao ar frio em seguida (a nevralgia pode voltar).

Aplicar compressas quentes sobre o local dolorido. Fazer saunas diárias de vapor de eucalipto.

Para a nevralgia do trigêmeo, bochechar com chá quente de alecrim. Manter esse líquido quente na boca pelo maior tempo possível. Funciona também, em muitos casos, aplicar uma bolsinha ou um saquinho de gelo sobre a carótida (artéria do pescoço) do mesmo lado que dói, por uns dez minutos.

Um banho quente de assento ou um banho quente de imersão ajuda a aliviar as nevralgias do tronco. O escalda-pés ajuda a aliviar as nevralgias em geral, mesmo as do trigêmeo.

 

 

Banho Quente de assento!


Programa Saúde Total

Levando informações aos ouvintes sobre saúde e qualidade de vida, valorizando os benefícios da natureza: ar puro, atividade física, água, luz solar, alimentação, repouso, abstinência e muito mais.