Tabagismo

Tabagismo

 Por que as pessoas fumam?

 

Uma baforada de fumo parece deveras medíocre para figurar no elenco das violações dos direitos humanos. Sempre foi usual o conceito de que o hábito de fumar é imposto unicamente pelo fumante a si próprio, e que aceitá-lo com suas conseqüências está de acordo com as liberdades humanas, ainda que paradoxalmente escraviza­doras.

Por que você fuma? Uma pergunta como essa deixa a maioria dos fumantes desconcertada. Eles não sabem o que responder com certeza. Há quem coloque “razões emocionais”, “para driblar o nervosismo”. Outros falam em “hábito”. Ainda outros mencionam “prazer”. Mas a verdade nua e crua é que o fumo é uma escravidão, um vício que cria dependência. Quase todos são seduzidos a essa armadilha por inadvertência. O excesso de estímulos publicitários e a falta de desestímulos adequados dá um “empur­rãozinho” muitas vezes fatal. Muitos começam a fumar bem jovens, adolescentes, quando a cabeça, ainda imatura, é palco de um turbilhão de mudanças.

 

Avesso aos direitos humanos

 

O fumo é um pecado contra os direitos humanos, especialmente o direito à vida e à saúde.

Se só o fumador fosse prejudicado, pesaria o argumento da liberdade de escolha. Mas recente relatório da Organização Mundial de Saúde deixa claro, com fartura de provas, que a saúde do fumante passivo, ou involuntário, também é posta em risco. O problema assume, então, dimensão mais grave. Quem opta pela abstinência se vê obrigado a conviver com a detestável fumaça. Inadmissível. Nossos direitos terminam onde começam os dos outros, diz conhecido adágio — e no caso do fumo, o ar que todos precisam respirar é igualmente corrompido, sem consideração a quem não gosta ou não se sente bem com a fumaça.

 

Você é vítima passiva?

 

Do relatório da OMS constam alguns dados interessantes. Um deles, publicado no British Medical Journal, revelou que mulheres casadas com fumantes apresentavam maior risco de contrair câncer no pulmão do que mulheres de não-fumantes. Diz ainda o relatório: “As pessoas cardíacas ou asmáticas e hipersensíveis podem ser afetadas pelo fumo criado à sua volta.”

A Agência Internacional de Investigação sobre o câncer em Lião informa que “o fumar passivo dá origem a risco de câncer”.

 

Fumo e doenças mortíferas

 

O câncer no pulmão é uma moléstia terrível e mortal, atingindo principalmente os fumadores. O referido relatório calcula que 95% de todos os casos de câncer do pulmão são causados pelo tabaco. E vai além: 75% dos casos de bronquite crônica e enfisema e 25% de cardiopatias isquêmicas — que provocam o fulminante infarto — estão ligados ao hábito de fumar.

 

Desperdício

 

Os “chaminés-ambulantes” desperdiçam entre 85 e 100 milhões de dólares por ano, queimando cerca de 1.000 cigarros para cada ser humano fumante. Se esta colossal quantia fosse investida em projetos sociais, quanto lucraríamos! Mas isso não é nada se comparado aos prejuízos: gastos médicos, absenteísmo, queda de produtividade, afastamento precoce do emprego, invalidez, acidentes de trabalho, incêndios etc. Só nos Estados Unidos, todos os lucros econômicos que possam vir das indústrias de tabaco (impostos, empregos etc.) são excedidos pelos prejuízos em cerca de 8 milhões de dólares, e no Canadá em 3 milhões. Lembremos ainda que, promovendo a perpetuação da praga, são gastos anualmente 2 milhões de dólares com propagandas.

Enfatiza o relatório que “só a indústria do fumo nega o papel do fumo como causa de doença... assim cabe a essa mesma indústria provar que ele não é culpado.”

Se você é fumante e conhecedor dos sérios riscos que corre, pense bem antes de acender o próximo cigarro. Na pior das hipóteses, como cidadão consciente e sensato, não obrigue outros a serem prejudicados pela poluição provocada por seu cigarro.

 

Sugestões naturais

 

Muitas pessoas vêm se libertando com a ajuda de procedimentos naturais. Para alguns, funcionam melhor certas plantas; para outros, dietas, e ainda a outros, um plano completo de desintoxicação. O programa que sugerimos em seguida, de seis itens principais, vem ajudando muitos fumantes. Baseia-se na experiência bem-sucedida de clínicas e terapeutas práticos.

O fumo é desrespeitosamente ousado. Invade nossa privacidade sem ser convidado. Invade os lares através do vídeo da televisão, com a eletrizante sugestão de imagens, músicas e apelos. Invade a cabeça imatura das crianças enquanto vêem e ouvem as chamadas comerciais. Polui o visual das cidades e das estradas em gigantescos outdoors. Preenche os mais caros espaços publicitários dos jornais e revistas de grande circulação. Contamina a atmosfera com seus miasmas. Suja os ambientes com sua cinza, e impregna a roupa com o cheiro desagradável do tabaco. Provoca acidentes e incêndios devastadores. Atinge a saúde dos fumantes de maneira terrivelmente lesiva e mortífera, causando-lhes câncer de pulmão, doenças coronárias, perturbações respiratórias etc. Invade até as narinas de quem não fuma e detesta a maldita baforada. Não é fácil desvencilhar-se da fumaça que invadiu o mundo. Só os poderosos empresários tabaqueiros não enxergam o desastre, porque o fumo invadiu-lhes a mente e nublou-lhes a consciência.

 

 

Quer libertar-se?

Sugestões para deixar de fumar

* Adote alimentação saudável, mas não mude radicalmente sua dieta sem orientação profissional individualizada.

Essa pergunta encerra o primeiro passo rumo à cura. É preciso querer. Querer e dedicar toda a energia do espírito a um grande objetivo. Querer envolve ação, obrigatoriamente. Muitos querem certas coisas, e continuarão só no desejo, sem nada alcançar, porque não têm determinação, não partem decididamente para a ação. São fracos e vacilantes. Pense honestamente se não seria essa a causa de seu insucesso.

Você já deve ter ouvido algo parecido, e provavelmente pensa que não adianta falar em força de vontade, pois já tentou sem conseguir. Lembre-se, porém, que é preciso aplicar toda a energia do espírito nessa empreitada. E isso envolve perseverança. Perseverança quer dizer nunca desistir, mesmo quando se falha.

Deus ajudará, sim, mas só os que quiserem ser ajudados. Deus opera, o homem coopera.

Os naturistas estão de acordo em que um estado tóxico permanente do sangue, mantido pelo fumo, poderá ser interrompido com uma boa desintoxicação:

1. Dieta alcalinizante*. Passe um ou dois dias por semana com sucos ou frutas, a cada três horas. Mantenha relativo repouso nesses dias. De três em três horas, tome suco de laranja, maçã, poncã, abacaxi ou outra fruta (natural, sem adoçar). Para variar, suco de cenoura com salsão. Nos demais dias, adote dieta predominantemente crudista. Desjejum, lanches e jantar: frutas ou água-de-coco (variar a fruta). Almoço: suco de cenoura com broto de alfafa, saladas cruas (usar brotos), amêndoas, vegetais cozidos ao vapor; arroz integral ou milho verde cozido, tofu e um pouco de lentilha. Pode-se repetir o almoço à noite, se houver muita fome. Porém, deve-se jantar cedo, e mastigar completamente os alimentos. Essa dieta alcalinizará e depurará o sangue, ajudando, depois de algum tempo, segundo os naturistas, a diminuir o desejo de fumar. No começo (primeiros dias ou primeiras semanas), poderá haver certa sensação de fraqueza, que logo cederá lugar a bem-estar e leveza. Em seguida, passar à dieta naturista, saudável.

2. Tomar, pelo menos três vezes na semana, em jejum e antes do almoço, vagarosamente, 50ml de suco puro de agrião. Pode-se misturar agrião com cenoura para melhorar o sabor. Gestantes não devem tomar suco de agrião.

3. Toda vez que tiver vontade de fumar, ingerir um pouquinho de suco de limão ou beber água com limão. Também ajuda muito pingar algumas gotas de solução de própolis na boca. Há nas farmácias medicamentos à base de sais de prata para bochechos. Bochechar toda vez que sentir vontade de fumar.

4. O assa-peixe é tradicionalmente conhecido como a erva anti-fumo. Dose tradicional: duas vezes ao dia, 100ml, ou meio copo, de chá de assa-peixe (cozinhar uma colher, das de sopa, da erva em 500ml de água; ferver e filtrar). Ajuda, segundo os naturistas, a “limpar” o pulmão, dissolver o pigarro e diminuir a vontade de fumar. Falhar dois dias por semana (nos dias em que se toma suco). Nesses dias, tomar, nos intervalos dos sucos, apenas água com limão, havendo sede.*

5. “Dia sim, dia não”, misturar ao assa-peixe as seguintes ervas: tanchagem, alfavaca, salsaparrilha, taiuiá, cavalinha; uma colher, das de sopa, das ervas picadas, juntas. Esse chá amargo tem, segundo os naturistas, vigorosa ação depurativa, “limpando” o organismo das toxinas do cigarro.

6. Um banho de tronco diário e uma sauna duas vezes por semana (consultar um médico para ver se você pode tomar sauna) ajuda a acalmar e a­­­ aliviar a compulsão ao vício. ­­­­

 

 

* As plantas aqui citadas são empregadas por clínicas naturistas ou medicinas tradicionais, e as doses são também tradicionais. Lembrete: não suprimir a orientação médica.

Assa-Peixe


Programa Saúde Total

Levando informações aos ouvintes sobre saúde e qualidade de vida, valorizando os benefícios da natureza: ar puro, atividade física, água, luz solar, alimentação, repouso, abstinência e muito mais.