Verminoses (Ou Helmintoses)

Verminoses (Ou Helmintoses)

 Que são verminoses?

 

Verminoses são doenças parasitárias provocadas por vermes, membros de três classes: os anelídeos, os nema­telmintos e os platelmintos (as formas importantes para o estudo médico pertencem às duas últimas classes). O tamanho e o formato sofrem certa variação de espécie para espécie. Há vermes grandes, achatados e compridos, como a “solitária” (Tenias), pequenos, como o oxiúro (Enterobius), microscópicos, como as microfilárias (forma evolutiva da ordem dos filarídeos), e filiformes, como a lombriga (Ascaris).

 

Por que são tão comuns (segundo os naturistas)?

 

Muito freqüentes, são evidência da fragilidade de nosso ambiente gastrin­testinal. A má alimentação, a má higiene e a instabilidade emocional contribuem para o quadro.

É indiscutível que fatores como falta de higiene e de saneamento básico responsabilizam-se pela proliferação e pela endemização de múltiplas para­sitoses. Obviamente, devem tomar-se as devidas precauções higiênicas, que vão de procedimentos simples da higiene pessoal, como cortar regularmente as unhas e lavar as mãos antes das refeições, até amplas ações comunitárias da ordem do saneamento básico. Acrescente-se a importância de combater insetos como moscas e baratas, e roedores. A lavagem cuidadosa dos alimentos, especialmente frutas e verduras, constitui também fator básico de prevenção.

Pouco se fala, contudo, nos maus hábitos alimentares modernos, particular­mente os das crianças, que usam e abusam de guloseimas não-nutritivas. O resultado é um estado nutricional e orgânico debilitado, altamente propício à instalação e ao desenvolvimento de parasitas.

 

Tratamento e exames

 

O tratamento poderá variar conforme o tipo de verme, a intensidade da infecção e as condições do doente. Impõe-se o exame de fezes como medida preliminar. Um só exame poderá não ser suficiente, já que muitos parasitas têm períodos “positivos” e “negativos” de manifestação por formas infectantes. Poderão ser necessários três ou mais exames, com intervalo de uma semana ou mais entre eles, para se chegar a uma conclusão correta.

 

Programa natural de dieta

 

Substituir, durante um mês, uma refeição por uma qualidade de fruta, como o mamão, e comer algumas sementes da mesma fruta. As outras refeições devem ser simples, nutritivas e naturais, como sempre recomendamos (ler capítulo 4, página 31).

 

Outros procedimentos

 

Cataplasma abdominal de argila, duas horas por dia. Banhos vitais ou banhos de tronco diários (ver capítulo 12, página 105).

Um clister (ou lavagem intestinal) diário, à noite, antes de deitar, com a seguinte mistura: bater no liquidificador 200ml de chá morno de hortelã forte, meia cabeça de alho picado e meia cebola média. Coar e aplicar com seringa descartável de borracha ou de plástico, ou com equipamento próprio. Reter no reto, antes de evacuar, o máximo possível.

Barriguinha redonda e perninhas finas. Palidez, dores abdominais, diarréia, náuseas. Esse é o quadro típico da criança pobre, vivendo em precárias condições de higiene, infestada de vermes como a lombriga. Mas há inúmeras outras espécies desses hóspedes indesejáveis que produzem múltipla variedade de sintomas.

 

Alimentação

Plantas e outros remédios tradicionais contra as verminoses*

* Estas sugestões naturais não suprimem a avaliação médica.

 

Primeiramente, é preciso mudar a alimentação. Açúcar, guloseimas e outros falsos alimentos não devem figurar no cardápio. A dieta deve ser nutritiva e natural. Mastigar bem é o que há de mais fundamental.

Abóbora — Mastigar de três a cinco colheres, das de sopa, de sementes de abóbora levemente tostadas, um pouco antes do almoço e do jantar.

Alho — Tomar, em jejum, meio copo de leite previamente fervido, com sete dentes de alho bem amassados. Ou tomar duas colheres, das de sopa, de suco de alho.

Arroz integral — Os macrobióticos recomendam mastigar muito bem, em jejum, duas colheres de arroz integral cru.

Artemísia — Uma colher, das de sopa, para meio litro de água, de uma a­­­ duas xícaras por dia, por poucos dias. Um remédio caseiro muito recomen­dado é tomar uma xícara de chá de artemísia com hortelã duas horas depois do desjejum e do almoço. Se houver oxiúros, acrescentar folhas de quássia.

Carqueja com hortelã — Misturar e tomar o cozimento, de uma a duas xícaras ao dia. Uma colher, das de sopa, das plantas em 300ml de água. Ferver e filtrar.

Coco-da-bahia — Durante alguns dias seguidos, adotar dieta exclusiva de coco-da-bahia, preparado da seguinte maneira: bater a polpa mole com a água do coco em liquidificador, sem adoçar. Tomar apenas esse líquido, de três em três ou de quatro em quatro horas.

Erva-de-santa-maria (chamada mastruço no Norte) — Embora considerada tóxica, é planta muito usada contra verminoses no Brasil. Em jejum, por sete dias seguidos, uma colher, das de sopa, do sumo de erva-de-santa-maria. Quem não tolera o sumo puro, pode misturar com meio copo de leite amornado, adoçado com mel. Para crianças, metade da dose. Mulheres grávidas não devem usá-la.

Eucalipto — Tintura de folhas de eucalipto ou extrato fluido, para uso interno: por uma semana, tomar algumas gotinhas (não mais que dez) em um pouco de água, antes das refeições.

Limão — Ralar a casca de um limão (certificar-se de que não foi tratado com agrotóxicos) e misturar com mel, de modo a obter três colheres, das de sopa. Tomar em jejum por pelo menos dez dias. No almoço, comer boa quantidade de abóbora, aproveitando as sementes (mastigar pelo menos três colheres, das de sopa).

Lombrigueira — Também chamada caxinguba (Ficus anthelmintica), é de longa data usada, no Norte do país, contra lombrigas e solitárias. Fazer um corte no tronco para obter a seiva leitosa. Tomar três gotas dessa seiva em uma colher, das de sopa, de água de duas em duas horas.

Mamão (associado a outros recursos) — Mastigar, em jejum e ao deitar, uma colher, das de sopa, de sementes de mamão. No almoço, comer boa quantidade de abóbora e mastigar pelo menos duas colheres, das de sopa, das sementes (da abóbora) ligeiramente tostadas. Nos intervalos, tomar chá de hortelã com carqueja. Fazer por uma semana, e repetir mensalmente.

Antigamente, no Hemisfério Norte, todos os anos, na primavera, as famílias costumavam administrar às crianças e aos adultos, e até aos animais, remédios herbais contra vermes. É de boa praxe, uma vez por ano, proceder a um ciclo de exames para constatar eventuais verminoses. Os vermes afetam profundamente nosso estado nutricional, debilitando defesas, alterando o humor e produzindo mal-estar crônico.

Marupazinho (ou marupaí) — Preparar o chá do bulbo macerado contra diarréias e amebíase. Tomar duas ou três xícaras ao dia. Muito útil nas diarréias, por conter sapogenina esteroidal.


Programa Saúde Total

Levando informações aos ouvintes sobre saúde e qualidade de vida, valorizando os benefícios da natureza: ar puro, atividade física, água, luz solar, alimentação, repouso, abstinência e muito mais.