MANGUE-VERMELHO

MANGUE-VERMELHO

MANGUE-VERMELHO
(Rhizofora mangle).
 
 
FAMÍLIA: Rizoforáceas.
 
OUTROS NOMES: Mangue-verdadeiro, mangue-de-sapateiro, mangue-de-pendão, guarapari, guaparaíba, canaponga, mapareíba, mangueiro (Amazônia).

DESCRIÇÃO: Arbusto frondoso, muito comum nas zonas litorâneas. Dá nos pântanos salobros e salgados, formando os “mangais”. É uma planta cujas raízes adventícias arqueadas formam verdadeiros castiçais, firmando-lhe o tronco e garantindo-lhe o equilíbrio necessário para resistir ao ímpeto das ondas da maré alta. Estas raízes nascem no tronco aéreo, crescem inicialmente em direção horizontal, mas curvam-se depois para baixo e penetram no lobo. As folhas são simples, inteiras, opostas, elíptico-ovais, espessas, coriáceas, revestidas duma epiderme grossa, suberosa lustrosa. Inflorescência em pequenas pseudo-umbelas axilares. Flores pequenas, esverdeadas, radiadas, com 8 estames e 1 pistilo esverdeado. O fruto é uma baga indeiscente, coroada se sépalas coriáceas, sésseis e valvulares, insertas no receptáculo que, por vezes, é urceolado.
 
USO MEDICINAL: A casca é usada contra diarréias, disenterias, hemorragias, leucorréias.
 
PARTE USADA: Casca, por decocção.
 
DOSE: Normal.

Programa Saúde Total

Levando informações aos ouvintes sobre saúde e qualidade de vida, valorizando os benefícios da natureza: ar puro, atividade física, água, luz solar, alimentação, repouso, abstinência e muito mais.